Inovação > Caso de Estudo 2: Corinthia Hotel Lisbon

Caso de Estudo 2: Corinthia Hotel Lisbon

Corinthia Hotel Lisbon

 

A VIDEIRA também contribui para tornar o CORINTHIA Hotel Lisbon num Hotel Energeticamente Eficiente.

 

Atenta ao novo paradigma do mercado da energia, com uma tendência clara e cada vez mais importante na criação de valor e aumento da competitividade das empresas pela redução dos consumos com a energia, a VIDEIRA consciente da sua importância nessa cadeia de valor aceitou com enorme agrado o repto do projetista para o desenvolvimento de uma solução à medida das necessidades para a preparação e conservação da água quente sanitária no Corinthia Hotel Lisbon.

A VIDEIRA em estreita cooperação com o projetista, e com os promotores do projeto Galp Soluções de Energia / ISQ Energia, seguindo a política energética por este definida para a concepção do projeto, identificou as necessidades chave para aumentar a capacidade de conservar a energia nos depósitos de acumulação, para otimizar o rendimento instantâneo dos colectores solares térmicos, efetuar a recuperação da energia libertada na condensação dos Chiller’s a baixas temperaturas, assim como aumentar a capacidade de utilização da água quente sanitária.

A conservação de energia será efetuada pelo sistema de isolamento desenvolvido. Nos depósitos a instalar no CORINTHIA Hotel Lisbon, o isolamento dos depósitos terá uma espessura de 120 mm com uma condutividade térmica λ=0,022 W/m2 ºC com uma densidade de 40 kg/m3. Um sistema de isolamento convencional teria uma espessura de 100 mm com uma condutividade térmica λ=0,037 W/m2 ºC com uma densidade de 80 kg/m3. Comparando os dois sistemas, as perdas serão reduzidas pelo menos duas vezes com a solução desenvolvida.

Um dos factores importantes que condicionam o rendimento dos colectores solares térmicos é a temperatura de entrada nos mesmos. Essa temperatura depende do design e características do permutador, permitindo a variação da temperatura de saída da água do mesmo. Assim, quanto maior for a temperatura à saída menor será o rendimento instantâneo dos colectores solares térmicos. O permutador de feixe tubular foi desenhado e dimensionado adequando as suas características físicas ao sistema solar térmico projetado para aproveitamento do recurso endógeno. No caso do depósito de acumulação de água quente sanitária preparada pelo sistema solar térmico, devido à possibilidade de acumulação de água a temperaturas superiores a 60 ºC, o fabrico será efetuado com chapa de aço inoxidável Austenítico AISI 316L, com elevada resistência à corrosão por picadas. Todas as soldaduras são efetuadas por processo nº 131, MIG, “Topo a Topo” eliminando desta forma qualquer possibilidade de corrosão intersticial.

(A corrosão intersticial desenvolve-se sempre que existe sobreposição de material, nesses casos o teor de oxigénio diminui na fenda estreita e da quantidade de produtos da corrosão aumenta os iões cloreto que destroem a camada passiva. É formada uma célula galvânica entre o metal desprotegido no interior da fenda e a camada exterior passiva. Diminui o pH e aumenta o conteúdo de cloreto dentro da fenda. O ataque cresce, reduzindo dessa forma o ciclo de vida do equipamento.)

Nos depósitos de acumulação de água quente sanitária serão instalados os dispositivos de difusão, de desenvolvimento anterior e testados pelo ECOTERMOLAB, no interior de cada depósito aumento da eficiência energética do equipamento evitando simultaneamente a degradação da energia contida no mesmo. Com a integração deste dispositivo vai permitir obter uma redução no consumo de energia primária.